quinta-feira, 6 de janeiro de 2011

Tecnicas e Jogos Vivenciais

No mundo em que vivemos, precisamos adquirir formas técnicas de bom relacionamento com as pessoas que nos relacionamos no nosso dia a dia.
O homem não pode viver isolado sozinha, abandonado exceto em característica anormal doentia e estranha. O homem é um ser permeável que pode adquirir novos conhecimentos e novas relações pessoas, pois toda existência humana é carente de uma rede de relações. As pessoas são únicas deferentes, repletas de valores e crenças, hábitos, costumes que os acaba caracterizando-os.
Nas empresas é papel do gestor de recursos humanos saber trabalharem a vivência da equipe e saber identificar as fases do desenvolvimento dos grupos, saber trabalhar os conflitos que casualmente aconteça no ambiente de trabalho.
Grupo é uma reunião de duas ou mais pessoas que estão envolvidas em interação social, têm um padrão estável de relação entre se e lutam por um objetivo comum. Cooper & Rothmann, 2009
Dessa forma procuramos atender as solicitações da professora Marilucia no intuito de conhecer aprofundar os conhecimentos a cerca do emprego de dinâmicas, técnicas e jogos vivenciais nas organização

Equipe escolhida grupo religioso Santas Missões Populares
Em que fase o grupo se encontra; o grupo se encontra na fase de abertura, caracterizando um comportamento pessoal ser ou não amado pelas tem a mesma importância.
Will Schutz (1978 apud MOSCOVICI, 1999) afirma que independente da natureza do grupo, seja ele de trabalho educacional, religioso, entre outros, passa por fases distintas em seu processo de desenvolvimento. Como o grupo é constituído por várias pessoas, um sujeito, ao longo de sua vida, vai incorporando varias figuras significativas de seu ambiente, ele por sua vez também exerce influencia sobre outras pessoas do grupo. Desta forma, uma pessoa e um grupo, deverão fazer frente às suas demandas externas, internas, emocionais, interpessoais e todas aquelas que estiverem relacionadas com a realização dos seus objetivos.
Após a fase de inclusão, na qual seus membros já encontraram seu espaço inicial começa a crescer a preocupação, pela distribuição de poder, pelas decisões e controle das atividades dos outros. Surgem, então, as divergências e discussões quanto aos objetivos e meios, funcionamento do grupo, norma de conduta, competição por liderança. As pessoas têm necessidade, diferenciada de controle, influencia e responsabilidade, e procuram satisfazê-las no grupo (MOSCOVICI, 1999).
Em que fase o grupo se encontra; o grupo se encontra na fase de abertura, caracterizando um comportamento pessoal ser ou não amado pelas tem a mesma importância.
O grupo foi percebendo a mudança de fase a partir do momento que houve a interação e abertura, conhecimento, confiança, dinamismo, tais percepções foram gerando nas pessoas a perca do medo e timidez.
Existe liderança no grupo? Se existe como o grupo reage ao líder?
Sim existe liderança, o grupo reage de forma amigável, pois o líder democrático, que sabe ouvir as pessoas, sabe descentralizar, motivar e conduzir o grupo para cumprimento de objetivos e metas.

Quais os elementos do processo de grupo que a equipe consegue identificar?
• Viver em comunidade,
• Ter uma identidade própria,
• Ter cultura,
• Bom relacionamento,
• O grupo tem resistência,
• Apresenta um líder,
• Integração de idéias para desenvolver estratégias,
• Interatividade.

Percebemos que o grupo consegue identificar os seguintes elementos que constituem o processo do grupo:
• Coesão: Eles percebem que existe a soma de forças, pois já aconteceu muitos momentos difíceis, que foi preciso juntar e somar as forças para conseguirem superar as dificuldade.
• Papeis: O grupo percebe que cada pessoa tem um papel, um valor que o caracteriza como ele, cada papel exposto pela pessoa é determinado pelo grau de conhecimento, agilidade, habilidades.
Listar as responsabilidades dos integrantes do grupo:
• Líder
• Secretario
• Articulador
• Tesoureiro
• Marqueteiro


O COMPORTAMENTO HUMANO

Com relação ao comportamento das pessoas em um meio de trabalho, por exemplo, trata-se de uma tarefa desafiadora. O ser humano é considerado único e complexo, e cada pessoa tem seu comportamento individual, de sua maneira, porém , quando se encontram em grupo, as atitudes têm a tendência a altera-se.
Na andragogia, utilizada como o método que ensina adultos, descoberta da Grécia Antiga, onde os filósofos gregos como Sócrates, Platão e Aristóteles já utilizavam, ensinavam adultos e adolescentes em grupos pequenos, utilizando uma metodologia interativa.
Dessa forma, a andragogia tem o objetivo de através do processo ensino-aprendizagem, explorar a experiência. A importância principal não está no conteúdo ensinado, e sim nos esquemas referenciais de quem aprende. Durante o processo, o foco é estimular a interatividade, a relação de troca, a comunicação, interação no decorrer da ligação entre os mesmos, com quem ensina e quem aprende.
A aprendizagem vivencial consiste em um ciclo de quatro etapas seqüenciais e interdependentes: atividade, análise, conceituação e conexão (MOSCOVICI, 1997).
Na etapa da vivencia, tem-se como, o inicio de todo o ciclo, nessa etapa a atividade é aplicada no grupo, pode ser uma simulação comportamental, jogos e exercícios de construção, de comunicação, liderança, dramatização, ou resolução de um problema.
Na etapa da análise, trata-se de um exame e discussão ampla das atividades, é uma análise crítica dos resultados e do processo de como atingi-los. Os participantes relatam, compartilham o que viram e sentiram no decorrer dos fatos.
Na conceituação é uma etapa que permite a conscientização de aspectos pessoais, interpessoais e grupais, levando a aprendizagens significativas relacionadas às vivencias de cada componente, é preciso organizar as idéias e buscar o significado com ajuda de conceitos esclarecedores.
Na etapa de conexão, é o momento de fazer correlação com os fatos reais, e comparando os aspectos comportamentais percebidos no grupo, sentimentos compartilhados com o cotidiano, com as situações práticas de trabalho e vida em geral. Essa fase é tida como o estágio final do momento do grupo, e do que foi planejado para aquela atividade e situação.
Cada indivíduo cumpre vários papéis sociais na vida real. Suas características de personalidade mesclam-se às variáveis externas no desempenho de cada papel, dando a este um colorido ou “marca” totalmente singular. O ser humano é caracterizado pela sua identidade como, nome, residência, filiação, etc., e pelos papeis que desempenha como, pai, mãe, profissional, amigo, irmão, etc., bem como por suas características que são acentuadas exatamente no desempenho de papéis, no decorrer da vida.
O simples encontro de pessoas com a finalidade de buscar qualquer objetivo grupal é uma dinâmica de grupo. De origem grega Dynamis , tem o significado de força, energia, ação.
Toda atividade que se desenvolve em grupo, que objetiva integrar, desinibir, “quebrar o gelo”, divertir, refletir, aprender, apresentar, promover o conhecimento, iniciar à aprendizagem, competir e aquecer, pode ser denominada Dinâmica de Grupo

As Fases de Desenvolvimento dos Grupos

São muitos os tipos de grupos existentes nesse universo de trabalhos que tem como objetivo comum o desenvolvimento de pessoas.
Vamos conhecer alguns tipos de grupo; institucionais, que tem como finalidade atuar nas instituições; ensino-aprendizagem, o objetivo “aprender a aprender”,
Comunitários têm como objetivo integrar e incentivar as capacidades positivas do individuo o melhor exemplo do tipo desse grupo é a sua crescente aplicação em programas de saúde voltados para a saúde mental; terapêuticos os grupos operativos terapêutico visam fundamentalmente à melhoria de alguma situação de patologia dos indivíduos a forma mais utilizada nesse tipo de grupo é conhecido como grupo de autoajuda ou ajuda mutua.
Fase de Inclusão: Considerada a fase inicial, ocorre sempre que se forma novo grupo ou alguém entra, é uma fase de estruturação do grupo de formativa e experimental
Fase de Controle: Caracteriza pela necessidade que as pessoas têm de revelar seus conhecimentos, sua competência, e de se afirmar no grupo. Cada qual busca conquistar um lugar, exercer um papel que satisfaça sua necessidade de controle, influência e responsabilidade.
Fase de Abertura: È marcada pelo afeto, as pessoas já se conhecem, se relacionam bem, tem definidas as afinidades, interpessoais.

Comportamentos e Conflitos nos Grupos

Existem muitas definições de conflitos. Apesar dos diferentes sentidos que o termo acabou por adquirir diversos temas comuns permeiam a maioria das definições. O conflito precisa ser percebido pelas partes envolvidas; a existência ou não do conflito é uma questão de percepção.
Conflito, portanto, pode ser definido do como o processo que tem inicio quando uma das partes percebe que a outra parte afeta, e pode afetar de modo negativo, alguma coisa que ela considera importante.
Olhar para dentro de si ver-se a si mesmo com realmente se é implica necessariamente um ato de coragem e maturidade. Esta coragem de que se fala, não diz respeito somente àquela que brota no momento de enfrentar ou fugir de coisas materiais, mas da coragem ela relativa, as ameaças internas.

PROCESSO DE DESENVOLVIMENTO DOS GRUPOS

De modo geral as empresas enfrentam tempos turbulentos na maioria das vezes os trabalhos que são executados por grupos de pessoas. Desta forma o processo de formação e desenvolvimento dos grupos vai ganhando forças até configurem alcançar seus objetivos. Pois sempre que falamos em grupo, estamos nos referindo ao agrupamento de pessoas em torno de um objetivo comum. Seu surgimento é mobilizado pelo desejo de existir para cumprir determinado fim, mesmo que ele se perpetue indefinidamente. Por mais óbvio que isso possa parecer, toda vez que um grupo ou uma organização (seja ela pequena ou grande) entra em crise descobre que muito de seus problemas estão incorporados na pouca consciência presente no grupo sobre seu real propósito ou suas intenções.



Processo de Institucionalização: Como ele Acontece?

Inicialmente esse tópico, ressalta que a nossa vida cotidiana é demarcada pela vida em grupo. O estabelecimento de regras institucionalizadas é o que nos faz conviver com outras pessoas, é o que mantêm uma sociedade em funcionamento.

Trabalhando com Grupos

O desenvolvimento desses grupos na organização social e a sua ampliação, enquanto representação e recuperação participativa e, como tal no âmbito de organização coletiva, é que definirá a relação mais profunda a ser mantida com esses líderes. Discordo com Santos “os contatos iniciais como a comunidade ou grupo, quando as relações não intermediadas por uma instituição ou por um projeto ou programa predeterminado, podem ser favorecidos por diversas formas”.
Pra finalizar reato retirado do nosso livro, “A família sempre será à base de uma sociedade e, principalmente, do ser humano no seu convívio em grupo e na constituição de suas atitudes como individuo.”

DINÂMICAS, JOGOS E VIVENCIA APLICABILIDADES

É importante que o coordenador um planejamento de suas atividades. Planejamento é elabora um plano ou roteiro projeta definir diretrizes. O que fazer. Quem vai fazer. Para que. Quando. Como será feito. Por que fazer.
É necessário ao coordenador, facilitador ter alguns papeis distintos fundamentais durante o processo de aplicação de uma dinâmica ou jogo:
• Ter clareza do que se objetiva com a tarefa;
• Planejar as atividades;
• Providenciar todos os recursos necessários para a aplicação da atividade: local e material;
• Ter habilidades para conduzir a técnica;
• Trabalhar com conjunto com o observador;
• Gerencia para que as habilidades sejam desenvolvidas corretamente.


CONCLUSÃO

Concluindo o tema proposto, percebemos a grande necessidade de se viver em comunidade, para o bom desempenho de nossas atividades nesse campo do relacionamento humano, é necessário que todos assumam suas responsabilidades. Nesse processo formativo das responsabilidades é necessário que o desempenho seja em grupo ou em equipe, é necessário que os papéis sejam desempenhados com muito ardor e determinação. A maturidade humana sempre será um processo na personalidade e crescimento humano. Por isso o processo de interação do grupo determinado pelas regras que tem o objetivo de determinar o sucesso da equipe.
Ao gestor de Recursos humanos lhe cabe a imensa responsabilidade de saber identificar e sanar as deficiências existentes na empresa por meio das dinâmicas aplicadas ao dia-a-dia, como também aplicar de maneira correta no recrutamento e seleção de pessoal. Hoje o Gestor de Recursos Humanos precisar escolher o melhor perfil para se chegar ao sucesso para ambos, tanto o colaborador lapida seu talento, aprimorando por meio de técnicas, conhecimento, como a empresa se torna um excelente local de trabalho, pois todos trabalham em prol de um único e saudável objetiva sucesso e saber corresponder às oportunidades dadas pelos os clientes.

REFERÊNCIA

Ricieri, Marilucia: Dinâmicas, técnicas e Jogos Vivenciais: RH/ Marilucia Ricieri, Daniela Sikorski, --são Paulo: Pearson Prentice Hall, 2009.

SANTOS, Adriana Aparecida et. al. Trabalho com famílias vulneravilizadas: dinâmicas orientadas: na perspectiva do SUAS. Londrina: S.C. Bianconi, 2006.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Postar um comentário

Que leituras você quer encontrar no meu blog?

Aslan Almeida Filho

Minha foto
toronto, Acre, Brazil
Uma pessoa simpática; gosto de fazer amizades; Fazer contatos profissionais. Superior em Gestão de Recursos Humanos. Atuando como Gerente Administrativo na Concessionária Yamaha. Motivador na Gestão de Pessoas. Planejamento estratégico e Orçamentário. Atribuições extracurriculares: ** Consultor em RH ** Recrutamento e Seleção de Pessoal ** Auditoria em RH ** Planejamento Estratégico ORganizacional ** Programador 5S